• TripAdvisor - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

To the top

© 2019 by Porto Bridge Climb®

Perguntas Frequentes

Porquê

Subir ao arco vale o esforço (e o preço)?

Nós achamos que sim, tal como 99% das pessoas que nos têm visitado.  Será pelo arco da Ponte da Arrábida ser um local icónico com vistas surpreendentes sobre o Porto, Gaia e a Foz do Douro? Ou pelas visitas serem realizadas com total segurança em grupos de até 14 pessoas, acompanhadas por um guia simpático?  Ou é só pela surpresa lá no topo? Venham e descubram!

Mas é mesmo imperdível?

Tanto quanto sabemos, esta é a única ponte na Europa em que se podem realizar visitas ao arco. No mundo existem apenas mais três - em Sydney e Brisbane, na Austrália, e em Auckland, na Nova Zelândia - mas não é tão fácil chegar lá... 

Eu já tenho outras coisas para fazer no Porto...

A subida ao arco é A nova experiência no Porto, e o complemento perfeito para um circuito de autocarro, um cruzeiro das 6 pontes ou um passeio de tuk-tuk, elétrico, bicicleta, segway ou mesmo a pé pela marginal. Está aberta ao público pela primeira vez desde 1963!

Quem

Quem pode subir à Ponte?

Qualquer pessoa que consiga subir escadas autonomamente e tenha idade igual ou superior a 12 anos.

PORÉM, o seguro apenas cobre visitantes até aos 79 anos e 364 dias.

Por esse motivo, visitantes com mais que 79 anos têm que assinar um termo de responsabilidade.

Quantas pessoas sobem ao arco de cada vez?

Habitualmente, em cada visita guiada sobem grupos de entre 1 e 13 pessoas + 1 guia.

Se tiverem um grupo maior, podemos reparti-lo pelos 2 arcos paralelos (que distam 8 metros entre si), o que permite que estejam 26 visitantes em simultâneo, 13 em cada arco.

Também podemos repartir os grupos maiores por visitas sucessivas, dentro ou fora do nosso horário habitual.

É necessário formar um grupo para subir?

Não, nós fazemos a visita desde que haja 1 pessoa interessada em subir.

 

Do you speak English?

Sim, toda a equipa fala Português e Inglês; e em alguns dias, também Espanhol, Francês, Italiano e Alemão (a confirmar previamente, se necessário).

A exposição no sopé do arco é bilingue: Português e Inglês.

Como posso entrar em contacto convosco?

Para tirar qualquer dúvida, podem visitar-nos no sopé do arco da Ponte da Arrábida, do lado do Porto, ou ligar para o +351 929207117, e nós ligaremos de volta se não conseguirmos atender no momento. 

Quando

Fazem visitas aos fins-de-semana?

Sim, fazemos visitas ao arco todos os dias, com exceção de 24 e 25 de Dezembro (Natal) e do Domingo de Páscoa; de segunda a domingo, e nos feriados também. SUBIMOS AO ARCO 362 DIAS POR ANO.

Fecham no Inverno?

Não, apenas não faremos visitas se não houver condições para subir e descer as escadas em segurança; de resto, esperamos fazer visitas ao longo de todo o ano.

No próximo ano ainda vai haver visitas?

Sim, e nos anos seguintes também; ao longo do tempo esperamos poder ligar os arcos Nascente e Poente da ponte, assim como enriquecer a exposição com novos conteúdos.

Qual é o horário do Porto Bridge Climb?

Estamos abertos ao público todos os dias das 14:15 até pouco depois do pôr-do-sol.

Ao longo do ano fazemos entre 5 e 9 visitas por dia; a primeira começa sempre às 14:30, e depois há visitas a cada 45 minutos pouco depois do pôr-do-sol (que acontece numa das 2 últimas visitas). Vejam o separador Horários para mais detalhes.

E à noite, também há visitas?

Sim, habitualmente fazemos subidas uma vez por mês na noite de lua cheia; e de vez em quando também fazemos subidas para ver o nascer do sol. Costumamos anunciar essas iniciativas no nosso Facebook e Instagram 

Fazem subidas além do vosso horário normal?

Sim, podemos fazer visitas noutros horários, por marcação, e com uma taxa adicional (variável conforme o tamanho do grupo). 

Se quiserem fazer uma subida num horário especial, por favor contactem-nos por telefone (929 207 117) ou email (info@portobridgeclimb.com).

Onde 

Onde fica a entrada da Porto Bridge Climb?

No próprio arco da ponte, junto à marginal do Douro do lado do Porto.

O acesso faz-se subindo umas escadas em granito que ficam a 50 metros a Poente da ponte (do lado esquerdo quem está de costas para o rio Douro).

O ponto indicado no google maps é o início das escadas em granito!

A visita ao arco termina do mesmo lado do rio?

Sim, na visita percorremos apenas metade do arco, entre o Porto e o topo; depois descemos as mesmas escadas, terminando no mesmo local.

Qual é o percurso da visita?

Na grande maioria das visitas, começamos no sopé do arco, do lado do Porto, e subimos as escadas que existem no arco do lado nascente (o lado mais perto da Ribeira) até ao topo do arco. Não passamos para o lado de Gaia nem para o arco mais próximo da Foz, mas temos boas vistas para lá.

Pontualmente, subimos o arco do lado poente (o mais próximo da Foz e da Afurada), que proporciona uma paisagem mais natural. Isto acontece quando há um grupo com mais que 13 pessoas que querem subir em simultâneo, para eventos especiais ou quando a visita do pôr do sol no arco Nascente já está cheia. 

É possível aproveitar a visita para atravessar o rio Douro?

Não, pois apenas temos o sistema de segurança instalado no lado do Porto; a visita só vai até ao meio do arco, não passa para o lado de Gaia. Porém, há barcos que o fazem 600 metros a Poente.

Há algum acesso do lado de Gaia?

Não, para já as visitas começam e acabam do lado do Porto.

Reservas

Recomendam que reserve a visita? 

Sim, porque assim tem a certeza sobe no dia e à hora que quer; o importante é que chegue até 15 minutos antes da hora da subida, porque depois desse momento não podemos garantir que as vagas estejam guardadas. Usem o formulário de reserva e recebam imediatamente a confirmação.

E para grupos grandes?

Caso o vosso grupo tenha mais que 13 pessoas, por favor contactem-nos (929 207 117 ou info@portobridgeclimb.com) e poderemos fazer uma reserva que inclua também o arco poente, para até 26 pessoas poderem subir juntas. 

Um grupo de 100 pessoas pode ter a experiência em pouco mais de 2 horas!

E se eu não tiver reserva?

Nesse caso, pode aparecer no sopé do arco e esperar pela vossa vez; no Verão temos lugares disponíveis em 90% das subidas; no Inverno, há vagas em 99% das visitas.

Tem que se pagar no momento em que se faz a reserva?

Não, o pagamento faz-se imediatamente antes da visita, na nossa recepção; é possível pagar com dinheiro ou com cartões de débito ou crédito.

Tenho uma reserva confirmada; basta chegar a essa hora, ou é melhor vir mais cedo?

Pedimos que cheguem até 15 minutos antes da hora da sua reserva; depois dessa hora, podemos não conseguir assegurar que façam a visita no horário marcado.

Não vou conseguir chegar a tempo da hora que tinha reservado. E agora?

Primeiro pedimos que tentem avisar-nos por telefone (chamada ou SMS para o 929 207 117). Procuraremos que subam na próxima visita disponível, mas não podemos assegurar que existam vagas logo a seguir.

Regras

Preciso de alguma roupa ou acessório especial para subir ao arco?

Basta trazer calçado e roupa confortável, do resto tratamos nós.

- São proibidos os chinelos e sapatos com tacão/salto, e recomendamos calçado fechado como sapatilhas ou sapatos.

- Pela comodidade na colocação do arnês, não recomendamos saias nem vestidos.

Posso levar o meu telemóvel ou máquina fotográfica durante a subida?

Não, todos os telemóveis e câmaras fotográficas são levados pelo guia numa mochila e devolvidos no topo do arco para poderem fotografar. Antes de iniciar a descida, tudo volta a ser recolhido na mochila para ser devolvido no sopé.

O motivo é assegurar que todos temos as mãos livres para segurar o corrimão e o cabo de aço, de modo a evitar um tropeção. 

Há alguma excepção a esta restrição de fotografar?

Sim! As máquinas que gravam autonomamente (do tipo go-pro) e que estejam bem fixas ao arnês, braço, cabeça ou peito podem ser usadas em todo o trajeto da visita.

Sou amante de fotografia, posso levar o meu tripé e várias lentes na subida?

Sim, o material fotográfico que esteja bem acondicionado numa bolsa ou mochila pode ser levado pelo próprietário até ao topo, e usado livremente lá em cima; mas mantém-se a impossibilidade de fotografar na subida e na descida.

Medos (não há razão para ter!)

Tenho medo de não conseguir subir; que faço?

Sugerimos que passes pelo sopé do arco e assistas a uma visita; poderás também conversar com quem acabou de subir e descer em segurança.

Para quem tem medo, a subida ainda é melhor, pois além da bela paisagem e do edifício impressionante, há uma boa sensação de superação!

O que mais me assusta é ter uma perspetiva vertical da água; há problema?

Ao longo da visita nunca se tem uma visão vertical do rio, pois há pelo menos 2 metros de betão armado à esquerda e à direita.

A subida é difícil? Vou conseguir?

É bem mais fácil do que subir à Torre dos Clérigos! 

A visita requer apenas um esforço físico moderado: dos 262 degraus, metade tem menos que 15 cm de altura (são degrauzinhos...).

Além disso, a subida e a descida são feitas em etapas, de modo respeitar o ritmo de todos os visitantes; subimos e descemos em grupo!

E quem tem medo de alturas, ou vertigens, consegue subir?

A sensação de segurança é muito elevada em toda a extensão da visita, segundo todas as pessoas com esses receios que nos têm visitado.  O arco que visitamos tem 8 metros de largura, tanto como uma rua com dois sentidos.

Mesmo assim, as pessoas que têm menos confiança na subida vão sempre junto ao guia, para um acompanhamento mais próximo.

É perigoso?

Não, a visita é segura. Caminhamos sobre um arco de betão com 8 metros de largura, numa escada que tem pelo menos 2 metros de betão para os dois lados. De um lado temos um corrimão, do outro, dois cabos de aço. Estamos ligados a uma Linha de Vida (EN 795) + Arnês (EN 361).